http://lalimulherpoema.zip.net/

visite....



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


 

Naveguei

Meu mundo era uma ilha

Sonhei

Vivia a divagar na dureza das pedras

Busquei

E via o rosto da felicidade,

bailando na minha frente

Desaguei

Com a força de um vulcão

Gestos enlouquecidos

Acalmei

Na brisa fresca da Terra...

Ouvi teu chamamento

Amei

Gotas de mar...

Nasceu a poesia

Tu... Soneto de Amor na minha vida

 

Teu Mar

Teu Eu.

 

***

...onde estou

...sou LaLi

Cantinho da Laranja Lima

Coisas de LaLi

Coisas sensuais de LaLi

Florbela Espanca - LaLi



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


meu mar...

Aqui

Vim aqui para contar os sinos
que vivem no mar,
que soam no mar,
dentro do mar.

Por isso vivo aqui.

Pablo Neruda

***

...onde estou

...sou LaLi

Cantinho da Laranja Lima

Coisas de LaLi

Coisas sensuais de LaLi

Florbela Espanca - LaLi



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


...te beijo meu EU.
...meu Mar.

 

Os primeiros encontros

Cada momento passado juntos
Era uma celebração, uma Epifania,
Nós os dois sozinhos no mundo.
Tu, tão audaz, mais leve que uma asa,
Descias numa vertigem a escada
A dois e dois, arrastando-me
Através de húmidos lilases, aos teus domínios
Do outro lado, passando o espelho.

Pela noite concedias-me o favor,
Abriam-se as portas do altar
E a nossa nudez iluminava o escuro
À medida que genuflectia. E ao acordar
Eu diria "Abençoada sejas!"
Sabendo como pretensiosa era a benção:
Dormias, os lilases tombavam da mesa
Para tocar-te as pálpebras num universo de azul,
E tu recebias esse sinal sobre as pálpebras
Imóveis, e imóvel estava a tua mão quente.

Rios palpitantes por dentro do cristal,
A montanha assomando na bruma, mar enfurecido,
Sentada num trono enquanto dormes,
...Deus do céu! ...tu pertences-me.
Acordas para transfigurar
As palavras de todos os dias,
E o teu discorrer transbordante
De poder revela na palavra "tu"
O seu novo sentido: sigifica "rei".
Simples objectos transfigurados,
Tudo ...a bacia, o jarro ..., tudo
Uma vez de sentinela entre nós
Se torna límpido, laminar e firme.

Íamos, sem saber para onde,
Perseguidos por miragens de cidades
Derrotadas construídas no milagre,
Hortelã pimenta aos nossos pés,
As aves acompanhando-nos o voo,
E no rio os peixes à procura da nascente;
O céu, a nós se abrindo.

Porque o destino seguia-nos o rastro
Como um louco com uma navalha na mão.

Арсений Александрович Тарковский
Arseny Alexandrovich Tarkovsky

***

...onde estou

...sou LaLi

Cantinho da Laranja Lima

Coisas de LaLi

Coisas sensuais de LaLi

Florbela Espanca - LaLi



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


Para ti

Mia Couto
 
"Foi para ti que desfolhei a chuva
para ti soltei o perfume da terra
toquei no nada
e para ti foi tudo
Para ti criei todas as palavras
e todas me faltaram
no minuto em que talhei
o sabor do sempre
Para ti dei voz
às minhas mãos
abri os gomos do tempo
assaltei o mundo
e pensei que tudo estava em nós
nesse doce engano
de tudo sermos donos
sem nada termos
simplesmente porque era de noite
e não dormíamos
eu descia em teu peito
para me procurar
e antes que a escuridão
nos cingisse a cintura
ficávamos nos olhos vivendo
de um só amando de uma só vida"

Confidência
 
Mia Couto
 
Diz o meu nome
pronuncia-o
como se as sílabas te queimassem os lábios
sopra-o com a suavidade
de uma confidência
para que o escuro apeteça
para que se desatem os teus cabelos
para que aconteça

Porque eu cresço para ti
sou eu dentro de ti
que bebe a última gota
e te conduzo a um lugar
sem tempo nem contorno

Porque apenas para os teus olhos
sou gesto e cor
e dentro de ti
me recolho ferido
exausto dos combates
em que a mim próprio me venci

Porque a minha mão infatigável
procura o interior e o avesso
da aparência
porque o tempo em que vivo
morre de ser ontem
e é urgente inventar
outra maneira de navegar
outro rumo outro pulsar
para dar esperança aos portos
que aguardam pensativos

No húmido centro da noite
diz o meu nome
como se eu te fosse estranho
como se fosse intruso
para que eu mesmo me desconheça
e me sobressalte
quando suavemente pronunciares o meu nome.

beijo você...meu Mar
sua Terra...

***

...onde estou

...sou LaLi

Cantinho da Laranja Lima

Coisas de LaLi

Coisas sensuais de LaLi

Florbela Espanca - LaLi



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


Na minha procura de rumos
Eu nada sei, e tudo sei
Por isso, vivo dias azuis a cada momento...
Coração cheio da mais pura verdade
Crente no amor
E tendo o mar como testemunha
Descobri o verdadeiro amor!
 
Na espera do chegar
No instante de uma espera
Entre mares e ares
Naveguei num mar inventado por mim
Um lugar onde moram os sonhos
Onde, pacientemente preparei a alma
Para acolher o amor
 
Num sentir infinito, percorrendo a emoção
Eis que surge, na espuma do mar
Misturada a beleza da maresia
Linda! Em um marear de amor, a mulher feliz!
Em puro sal, num só gemer...
O começo das minhas “horas azuis”
 

Te beijo, minha Terra
Te amo e preciso
Teu Mar

***

Meu Mar

deixo beijo para você nesse dia lindo de amor... dia dos namorados...dia nosso...

Tua Terra

Mar

Que mar é este onde navego e te amo
Que, sem foz, me cobre os olhos e os recantos da alma?
Não tem nuvens, nem sombras nem areia grossa
Mas apenas ondas imensas e vontades intensas
De verde me visto, vagueio e suspiro
E por entre o meu corpo e o teu em plena apneia
Me mantenho suspensa nos fios das estrelas
Que de prata pintam a magia do mar.
Aqui, nas ondas deste canal repleto de sal
Tudo se renova e rejuvenesce em cada beijo
Todas as palavras são ternas e quentes
Todos os fluídos nos saciam a sede
Até que o mar acalma, adormece e repousa
Despertando apenas quando os primeiros raios de sol
Brotam e revoltam o desejo insaciável
De nos encontrarmos na profundidade deste amar

Madalena Palma

***

...onde estou

...sou LaLi

Cantinho da Laranja Lima

Coisas de LaLi

Coisas sensuais de LaLi

Florbela Espanca - LaLi



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


Serenidade


Há muito tempo, Vida, prometeste
trazer ao meu caminho uma doida alegria
feita de espírito e de chama,
uma alegria transbordante, assim como esse
alvo clarão que se irradia
da orla festiva das enseadas,
e entre reflexos de ouro se derrama
do cântaro das madrugadas.

Eu, que nasci para um destino manso
de coisas suaves, silenciosas, imprecisas,
e que fico tão bem neste obscuro remanso
onde apenas se infiltra um perfume de brisas,
imagino a tremer: que seria de mim
se essa alegria
esplêndida, algum dia,
houvesse surpreendido a minha inexperiência!…

A vida me iludiu, mas foi sábia na essência.

Minha alegria deveria ser assim:
Pequenina doçura delicada,
gota de orvalho em pétala de flor,
sempre serena lâmpada velada
que me diluísse as brumas do interior.

Sempre serena lâmpada velada,
símbolo do meu sonho predileto…
Se amanhã tu penderes do meu teto
aureolando minha última ilusão,
- para que eu viva em teu amor e em tua paz,
deixa um rastro de sombra pelo chão…
É nesta sombra que hei de me esconder
quando sentir a falta que me faz
a outra alegria que não pude ter!

Henriqueta Lisboa

...beijos meu EU.

***

...onde estou

...sou LaLi

Cantinho da Laranja Lima

Coisas de LaLi

Coisas sensuais de LaLi

Florbela Espanca - LaLi



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


Distante Amor 

Eu penso em ti quando o fulgor do sol ardente
reluz do mar;
E penso em ti quando a tranquila fonte
espelha o luar.

A ti eu vejo da longínqua estrada
entre a turba e pó;
E, alta noite, por tenebrosa senda,
peregrino e só.

Tua voz me fala entre o fragor da vaga
que vem tombando;
Ou, quando em silêncio, lá na selva erma
te estou escutando.

Contigo estou, de ti tão longe embora.
'Stás junto a mim!
Já cai o dia... Vêm luzindo os astros ...
Ver-te-ei, enfim?

Goethe
Trad. Bastian Pinto

beijos nossos...

***

...onde estou

...sou LaLi

Cantinho da Laranja Lima

Coisas de LaLi

Coisas sensuais de LaLi

Florbela Espanca - LaLi



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


À noite como deve sentir-se solitário o vento
Quando todos apagam a luz
E quem possui um abrigo
Fecha a janela e vai dormir.

Ao meio-dia, como deve sentir-se imponente o vento
Ao pisar em incorpórea música,
Corrigindo erros do firmamento
E limpando a cena.

Pela manhã, como deve sentir-se poderoso o vento
Ao deter-se em mil auroras,
Desposando cada uma, rejeitando todas
E voando para seu esguio templo, depois.

Emily Dickinson

beijos, meu Eu.

***

...onde estou

...sou LaLi

Cantinho da Laranja Lima

Coisas de LaLi

Coisas sensuais de LaLi

Florbela Espanca - LaLi



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


Eu Sei que Vou te Amar

Eu sei que vou te amar,
Por toda a minha vida eu vou te amar,
A cada despedida, eu vou te amar,
Desesperadamente, eu sei que vou te amar.

E cada verso meu será
Pra te dizer, que eu sei que vou te amar,
Por toda a minha vida.

Eu sei que vou chorar,
A cada ausência tua eu vou chorar,
Mas cada volta tua há de apagar
O que essa tua ausência me causou.

Eu sei que vou sofrer
A eterna desventura de viver
À espera de viver ao lado teu,
Por toda a minha vida.

Eu sei que vou te amar,
Por toda a minha vida eu vou te amar,
A cada despedida, eu vou te amar,
Desesperadamente, eu sei que vou te amar.

E cada verso meu será
Pra te dizer, que eu sei que vou te amar,
Por toda a minha vida.

Eu sei que vou chorar,
A cada ausência tua eu vou chorar,
Mas cada volta tua há de apagar
O que essa tua ausência me causou.

Eu sei que vou sofrer
A eterna desventura de viver
À espera de viver ao lado teu,
Por toda a minha vida.

Vinícius de Morais/Tom Jobim



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


Entrego-me aos braços do vento
Preciso e veloz
Impregnados de mim
Bailam para ti...
 
...
 
Uma canção
Acalmando minha inquietação
 
Nas palavras mudas
O lento amanhecer do coração
 
Fico em silêncio
Com um resto de sono...
Colho as flores no sonho


 
para você
amor de vida minha
lhe amo

Mar de Terra



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


Ah! O céu, o mar
Corpos se misturam
Semente que brota
Gota de água
...sal, sêmen, suor
Explode no calor
Aroma de amor
 
Domando a emoção
Na ternura do momento
O som do mar, manto de notas
Espuma...cobre e recobre
corpos felizes, misturados de sal
 
Voz do mundo
Luminoso sorriso da Santidade
Rosto de pura Verdade
O tempo parou!
um estalo...
...corpos flutuam
 
- Uma mulher, o amor
 
Imenso azul
...dança
reverencia
...inundado de amor
 
A explosão da Terra!
linda e fecunda

 
o teu nascer
o ciclo que se cumpre
 
vem do mar...
mar que te ama,
te acompanha,
te respira
 



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


Coração bate inquieto
Numa toada de vento
Numa sonata muda
Num compasso...
Um querer
 
Nasce no peito
As águas...
...que correm rumo a terra
Numa melodia incontida
Na canção de embalar
...um sussurro
Nota em refrão
...som que faz sentir
o mais puro vibrar
 
A canção, em emoção
Com a palavra...Amor!

 
a canção de amor
o barulho do mar
o vibrar da terra
 
mar inquieto



... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


   

 

Noite que guarda mil segredos...

Sonhos nossos

Sorrisos meus

Longo abraço em mágica dança

Numa madrugada de seres apaixonados

Vivida das palavras felizes

 

O amor invade os sentidos

A ternura impõe sua lei

No colo da terra...

Nos braços do mar...

A respiração...

O sentir...

Desejo além do limite da razão

A busca da vontade mais pura

 

E na dança das ondas...

...nas profundezas deste sonho

Num voar junto...

...a certeza da posse

 

Acordamos, com amor, em amor...

 

 

Minha terra

Amor de vida minha

Mar encantado


... por LaLi.
[ envie esta mensagem ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 

"...para ti eu criarei
um dia puro...livre
como o vento e
repetido como o florir
das ondas ordenadas. "

Sophia de M.B. Andrensen

***

Tu já tinhas um nome,
e eu não sei se eras fonte
ou brisa ou mar ou flor. Nos meus versos
chamar-te-ei. Amor...

Eugénio de Andrade

_____________________


Sejam Benvindos(as)...


clique e conheça

Terra e Mar Músicas

_____________________

Pergunto a cada um destes
novos ladrilhos, todos
lindos, novos, em brilho,
quem me fez sair dos
trilhos, me encher de
suspiros, abandonar aqueles
mesmos caminhos todos de
muitos espinhos, despir uns
vazios, viver em cios,
pensar em filhos, me esvair
em águas e rios. Fizeste
isto: ladrilhaste minha
alma com aquelas pedrinhas
de brilhante que eu desisti
há tanto de acreditar que
existiam.

Ticcia

_____________________

Serenamente

Aqui serenamente
sou feliz
sem qualquer memória do passado

sem qualquer cansaço
mascarado
ou trevas que encubram
qualquer escombro

de ti tudo o que vem
é quente e súbito

da tua voz
amor
do nosso encontro único

Maria Teresa Horta

_____________________

Soneto da Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes e com tal zelo e sempre e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento

Quero vive-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa lhe dizer do amor que tive
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas, que seja infinito enquanto dure.

 Vinícius de Moraes

_____________________

Amor

Quem diz que Amor é falso ou enganoso,
Ligeiro, ingrato, vão, desconhecido,
Sem falta lhe terá bem merecido
Que lhe seja cruel ou rigoroso.

Amor é brando, é doce e é piedoso.
Quem o contrário diz não seja crido;
Seja por cego e apaixonado tido,
E aos homens, e inda aos deuses, odioso.

Se males faz Amor, em mi se vêem;
Em mi mostrando todo o seu rigor,
Ao mundo quis mostrar quanto podia.

Mas todas suas iras são de Amor;
Todos estes seus males são um bem,
Que eu por todo outro bem não trocaria.

Camões

_____________________

Não aprendi a colher a flor
sem esfacelar as pétalas.
Falta-me o dedo menino
de quem costura desfiladeiros.

Criança, eu sabia
suspender o tempo,
soterrar abismos
e nomear as estrelas.
Cresci,
perdi pontes,
esqueci sortilégios.

Careço da habilidade da onda,
hei-de aprender a carícia da brisa.

Trémula, a haste
me pede
o adiar da noite.

Em véspera da dádiva,
a faca me recorda, no gume do beijo,
a aresta do adeus.

Não, não aprenderei
nunca a decepar flores.

Quem sabe, um dia,
eu, em mim, colha um jardim?

Mia Couto

_____________________

A noite desce...

Como pálpebras roxas que tombassem
Sobre uns olhos cansados, carinhosas,
A noite desce... Ah! doces mãos piedosas
Que os meus olhos tristíssimos fechassem!

Assim mãos de bondade me beijassem!
Assim me adormecessem! Caridosas
Em braçados de lírios, de mimosas,
No crepúsculo que desce me enterrassem!

A noite em sombra e fumo se desfaz...
Perfume de baunilha ou de lilás,
A noite põe embriagada, louca!

E a noite vai descendo, sempre calma...
Meu doce Amor tu beijas a minh'alma
Beijando nesta hora a minha boca!

Florbela Espanca

_____________________

O jardim e a noite

Atravessei o jardim solitário e sem lua,
Correndo ao vento pelos caminhos fora,
Para tentar como outrora
Unir a minha alma à tua,
Ó grande noite solitária e sonhadora.

Entre os canteiro cercados de buxo,
Sorri à sombra tremendo de medo.
De joelhos na terra abri o repuxo,
E os meus gestos foram gestos de bruxedo.
Foram os gestos dessa encantação,
Que devia acordar do seu inquieto sono
A terra negra dos canteiros
E os meus sonhos sepultados
Vivos e inteiros.

Mas sob o peso dos narcisos floridos
Calou-se a terra,
E sob o peso dos frutos ressequidos
Do presente,
calaram-se os meus sonhos perdidos.

Entre os canteiros cercados de buxo,
Enquanto subia e caía a água do repuxo,
Murmurei as palavras em que outrora
Para mim sempre existia
O gesto dum impulso.

Palavras que eu despi da sua literatura,
Para lhes dar a sua forma primitiva e pura,
De fórmulas de magia.

Docemente a sonhar entre a folhagem
A noite solitária e pura
Continuou distante e intangível
Sem me deixar penetrar no seu segredo.
E eu senti quebrar-se, cair desfeita,
A minha ânsia carregada de impossível,
Contra a sua harmonia perfeita.

Tomei nas minhas mãos a sombra escura
E embalei o silêncio nos meus ombros.
Tudo em minha volta estava vivo
Mas nada pôde acordar dos seus escombros
O meu grande êxtase perdido.

Só o vento passou pesado e quente
E à sua volta todo o jardim cantou
E a água do tanque tremendo
Se maravilhou
Em círculos, longamente.


Sophia de M.B. Andresen

_____________________


A Terra

Também eu quero abrir-te e
semear
Um grão de poesia no teu
seio!
Anda tudo a lavrar,
Tudo a enterrar centeio,
E são horas de eu pôr a
germinar
A semente dos versos que
granjeio.

Na seara madura de amanhã
Sem fronteiras nem dono,
Há de existir a praga da
milhã,
A volúpia do sono
Da papoula vermelha e
temporã,
E o alegre abandono
De uma cigarra vã.

Mas das asas que agite,
O poema que cante
Será graça e limite
Do pendão que levante
A fé que a tua força
ressuscite!

Casou-nos Deus, o mito!
E cada imagem que me vem
É um gomo teu, ou um
grito
Que eu apenas repito
Na melodia que o poema
tem.

Terra, minha aliada
Na criação!
Seja fecunda a vessada,
Seja à tona do chão,
Nada fecundas, nada,
Que eu não fermente
também de inspiração!

E por isso te rasgo de
magia
E te lanço nos braços
a colheita
Que hás de parir depois...
Poesia desfeita,
Fruto maduro de nós dois.

Terra, minha mulher!
Um amor é o aceno,
Outro a quentura que se
quer
Dentro dum corpo nu,
moreno!

A charrua das leivas
não concebe
Uma bolota que não dê
carvalhos;
A minha, planta orvalhos...
Água que a manhã bebe
No pudor dos atalhos.

Terra, minha canção!
Ode de pólo a pólo
erguida
Pela beleza que não sabe
a pão
Mas ao gosto da vida!

Miguel Torga

_____________________


Ao Mar

Água, sal e vontade – a vida!
Azul – a cor do céu e da
inocência.
Um lenço a colorir a despedida
Da galera da ausência…

Mar tenebroso!
Mar fechado e rugoso
Sobre um casto jardim
adormecido!
Mar de medusas que ninguém
semeia,
Criadas com mistério e com
areia,
Perfeitas de beleza e de
sentido!

Vem a sede da terra e não se
acalma!
Vem a força do mundo e não te
doma!
Impenitente e funda, a tua
alma
Guarda-se no cristal duma
redoma.
Guarda-se purificada em
leve espuma,
Renda da sua túnica de linho.
Guarda-se aberta em sol,
sagrada em bruma,
Sem amor, sem ternura e sem
caminho.

O navio do sonho foi ao fundo,
E o capitão, despido, jaz ao
leme,
Branco nos ossos descarnados;
Uma alga no peito, a flor do
mundo,
Uma fibra de amor que vive
e treme
De ouvir segredos vãos,
petrificados.

Uma ilusão enfuna e enxuga
a vela,
Uma desilusão a rasga e molha;
Morta a magia que pintava
a tela,
O mesmo olhar de há pouco já
não olha.

Na órbita vazia um cego ouriço
Pica o silêncio leve que
perpassa…
Pica o novo feitiço
Que nasce do final de uma
desgraça.

Mas nem corais, nem polvos, nem
quimeras
Sobem à tona das marés…
O navio encalhado
e as suas eras
Lá permanecem a milhentos pés.

Soterrados em verde, negro
e vago,
Nenhum sol os aquece.
Habitantes do lago
Do esquecimento, só a sombra
os tece…

Ela que és tu, anónimo oceano,
Coração ciumento e namorado!
Ela que és tu, arfar viril
e plano,
Largo como um abraço descuidado!

Tu, mar fechado, aberto
e descoberto
Com bússolas e gritos de
gajeiro!
Tu, mar salgado, lírico, coberto
De lágrimas, iodo e nevoeiro!

Miguel Torga

_____________________

Rosa

Rosa em verso, rosa em prosa:
rosa rosa.
Verdadeira, recortada,
sempre votiva é a rosa.
Quem a dá, quem a ostenta,
quem a colhe, quem a inventa,
quem dela - a rosa - se lembra
faz o voto de quebrar
a pessoal solidão.
Se não troco o pão por rosas,
não troco a rosa por pão.

Alexandre Oneill

_____________________

Amar e ser amado

Amar e ser amado! Com que anelo
Com quanto ardor este adorado sonho
Acalentei em meu delírio ardente
Por essas doces noites de desveio!

Ser amado por ti, o teu alento
A bafejar-me a abrasadora frente!
E, teus olhos mirar meu pensamento,
P'ra tão puro e celeste sentimento:

Ver nossas vidas quais dois mansos rios,
Juntos, juntos perderem-se no oceano
Beijar teus dedos em delírio insano

Nossas almas unidas, nosso alento,
Confundindo também, amante - amado -
Como um anjo feliz... que pensamento

Castro Alves

_____________________

onde estou...

- Cantinho da Laranja Lima
- Florbela Espanca - LaLi
- Era uma vez...LaLi
- Coisas de Lali
- Coisas Sensuais de LaLi

onde vou...

- Anjo Sensual
- "Alma do Beco"
- Your Soul
- Antonio email que..
- Balaio de Letras.*CC*
- Chega mais - Dacio
- "Dameumtango"
- "eugeniainthemeadow"
- Eliane Alcantara
- Ela Nua é Linda-L.A.M
- Lique...pt
- Notas do Velho Safado
- Linaldo...Zumbi..
- Oceanos e Desertos
- Mariza Lourenço
- Pretensos Colóquios
- Sensualidade e Atualidade
- Tabua de Marés
- Umbigo do Sonho
- Voando pelo céu da boca

_____________________

Histórico



_____________________

Na ilha por vezes habitada

Na ilha por vezes habitada do que somos, há noites,
manhãs e madrugadas em que não precisamos de
morrer.
Então sabemos tudo do que foi e será.
O mundo aparece explicado definitivamente e entra
em nós uma grande serenidade, e dizem-se as
palavras que a significam.
Levantamos um punhado de terra e apertamo-la nas
mãos.
Com doçura.
Aí se contém toda a verdade suportável: o contorno, a
vontade e os limites.
Podemos então dizer que somos livres, com a paz e o
sorriso de quem se reconhece e viajou à roda do
mundo infatigável, porque mordeu a alma até aos
ossos dela.
Libertemos devagar a terra onde acontecem milagres
como a água, a pedra e a raiz.
Cada um de nós é por enquanto a vida.
Isso nos baste.

Saramago

_____________________


Lira romantiquinha

Por que me trancas
o rosto e o sorriso
e assim me arrancas
do paraíso?

Por que não queres
deixando o alarme
( ai, Deus: mulheres)
acarinhar-me?

Por que cultivas
as sem-perfume
e agressivas
flores do ciúme?

Acaso ignoras
que te amo tanto,
todas as horas,
já nem sei quanto?

Visto que em suma
é todo teu,
de mais nenhuma
o peito meu?

Anjo sem fé
nas minhas juras
porque é que é
que me angusturas?

Minh'alma chove
frio e tristinho
não te comove
este versinho?

Carlos Drummond de Andrade

_____________________

Te amo


Te amo de uma maneira inexplicável
de uma forma inconfessável
de um modo contraditório

Te amo com meus estados de ânimo que são muitos
e mudam de humor continuadamente
pelo que você já sabe

o tempo
a vida
a morte

Te amo
com o mundo que não entendo
com a gente que não compreende
com a ambivalência de minha alma
com a incoerência dos meus atos
com a fatalidade do destino
com a conspiração do desejo
com a ambiguidade dos fatos

Ainda quando digo que não te amo, te amo
até quando te engano, não te engano
no fundo levo a cabo um plano
para amar-te melhor.

Te amo

sem refletir, inconscientemente
irresponsavelmente, espontaneamente
involuntariamente, por instinto
por impulso, irracionalmente

De fato não tenho argumentos lógicos
nem sequer improvisados
para fundamentar este amor que sinto por ti
que surgiu misteriosamente do nada

que não resolveu magicamente nada
e que milagrosamente, pouco a pouco, com pouco e nada,
tem melhorado o pior de mim.

Te amo

Te amo com um corpo que não pensa
com um coração que não raciocina
com uma cabeça que não coordena

Te amo incompreensivelmente
sem perguntar-me porque te amo
sem importar-me porque te amo
sem questionar-me porque te amo

Te amo
sinceramente porque te amo
eu mesmo não sei porque te amo.

Pablo Neruda

_____________________

Ontem

As fendas nas quais cultivavas
meus sorrisos
eram ideogramas de leituras
não feitas
por minhas inconciliáveis
palavras,
margem de pus e suor em meu
peito

Ainda

Do lado de lá circulavam
manhãs
quando eu tardia pioneira do
nada
abria a mochila de meus
sentimentos
e via voar sem um mínimo de
pressa
faíscas molestadas por minhas
asas,
plumas seduzidas em
alinhamento idôneo,
verão calvo de um sol desfeito

Mas

Nada tendo de nada que sei
e do que sei tendo nada,
apenas carreguei mãos abertas
a benzer teus olhos com
loucura
meio a razão e a tentação

Agora

Dou-te sem medo do que não
sei
minhas horas vividas,
vindouras.
Faz tempo ... um dia eu
serenei...
Hoje orvalho sendas...
Por zelo leva a faixa à vida.
Prossigas!

Eliane Alcântara

_____________________




eXTReMe Tracker
_____________________

Poema de amor

Vasa-me os olhos e eu poderei ver-te
Destrói-me os ouvidos e eu poderei ouvir-te
Mesmo sem pés poderei chegar a ti
Mesmo sem boca poderei conjurar-te
Corta-me os braços adorar-te-ei
Com os braços com as mãos
No coração latejará o meu cérebro
E se incendiares o meu cérebro
Guardar-te-ei ainda no meu sangue

Rainer Maria Rilke

_____________________

A (mar)

...
Ele, o mar, estava do outro lado das dunas altas, esperando.
Quando o menino e o pai enfim alcançaram aquelas alturas de areia,
depois de muito caminhar, o mar estava na frente de seus olhos.
E foi tanta a imensidão do mar, e tanto seu fulgor,
que o menino ficou mudo de beleza.
E quando finalmente conseguiu falar,
tremendo, gaguejando, pediu ao pai:
- Me ajuda a olhar!"

Eduardo Galeano

_____________________



<BGSOUND SRC="http://www.terraemarmusicas.com.br/sound/meditation_-_ondas.mid" LOOP="INFINITE">